Sou corretor de seguros e recentemente abri minha corretora. Ansioso e feliz pela conquista fui me cadastrar nas seguradoras. Serei sincero, não tenho grande produção e, por não achar interessante, não concentro produção em nenhuma seguradora. Fiquei surpreso com o desinteresse de algumas companhias.

Não entendo! Achei que uma seguradora tivesse interesse em vender através de qualquer um. Eu considero um privilégio quando um cliente vem me procurar, mesmo que seja para “leiloar” com o corretor antigo, com o banco, com o primo, com o irmão do amigo…

Sejamos francos. Alguma seguradora já tentou vender seus serviços? Nós corretores vamos atrás do cliente, tentamos encantá-lo com nossos argumentos, técnicos ou comerciais, nós vendemos um serviço. Alguém, de verdade, já “comprou” os serviços de uma seguradora que te procurou para cadastro (não para acordo)? Onde o gerente tenha apresentado a seguradora, seus diferenciais, suas reservas técnicas, participação no mercado, estrutura de atendimento, relação com o segurado, regulação de sinistro, campanhas de vendas, etc. Já?

Algumas como Yassuda e Tokio Marine simplesmente recusaram o cadastro. Outras, como Alfa simplesmente não retornaram, mesmo após várias formas de abordagem. Outras apresentaram plataformas. E a HDI informou o meu “descadastramento”, pois eu não produzi nada em seis meses e meu cadastro gera um custo para a seguradora. Custo? Que custo? Como se eu fosse o primeiro corretor, como se o sistema tivesse sido criado para mim, como se eu demandasse muita coisa ou fosse muito visitado pelo gerente, etc.

Bem, mas apesar das fusões ainda sobraram várias seguradoras no mercado. Seguradoras que te tratam como aquele velho princípio onde o cliente tem sempre a razão. Seguradoras que te dão, mesmo que um pouco, atenção, independente do que você produza.

Mas uma coisa eu lhes digo: Darei o mesmo atendimento e o mesmo retorno que me deram.